Projeto: A carroça na rota dos Balaios

Com O Projeto A Carroça na Estrada, em 2012, tivemos a oportunidade de apresentar em povoados e comunidades quilombolas, contando e ouvindo estórias e cantigas, e identificando, através dos depoimentos e memórias de lideranças comunitárias, uma importante rota também esquecida por nossos gestores culturais: a rota da Balaiada.
A guerra da Balaiada foi um dos mais importantes e trágicos acontecimentos da história de nosso país, ocorrida entre 1838 e 1841, localizando-se nos estados do Ceará, Piauí e, principalmente, Maranhão.
No estado do Maranhão a Balaiada teve destaque nos municípios incluídos na rota apresentada para este circuito de ações: cidades de São Luís, Icatu, Itapecuru Mirim, Vargem Grande, Nina Rodrigues, Chapadinha, Urbano Santos, Anapurus, Brejo e Caxias.
Assim como a Guerra dos Farrapos, a Cabanagem e a Sabinada, sua principal característica foi a organização popular e campesina. A Balaiada foi liderada pelo negro alforriado Cosme Bento das Chagas, mais conhecido como “Negro Cosme”; o agricultor e fabricante de cestos Francisco dos Anjos Ferreira, “O Balaio”; e o vaqueiro Raimundo Gomes, “Cara Preta”. No entanto os louros da vitória ficaram com Luis Alves de Lima e Silva que foi condecorado com o título de Barão de Caxias.
Sabe-se que a história da História nos ensina que para todo fato há, pelo menos, dois lados, dois pontos de vista, duas verdades ou justificativas. Entretanto, o que normalmente nos chega através da literatura é a história dos que venceram, instituindo-se uma história “oficial” que esmaga histórias “reais” e as identidades de um povo. Portanto, ao trilhar a rota dos Balaios com o espetáculo de rua apresentado gratuitamente em praças da zona urbana e rural, e mais a distribuição de cópias dos programas Radionovela D. Cosme: o tutor das liberdades e Estação Era Uma Vez, o grupo XAMA TEATRO busca valorizar o saber e a memória destas localidades, estimulando seu pertencimento com a cultura de sua região.
Além de apresentar alternativas para criação de rotas culturais incluindo pequenas cidades e povoados - normalmente excluídos de equipamentos culturais, o projeto A Carroça na Rota dos Balaios busca superar as dificuldades enfrentadas apresentando a linguagem e estética do teatro de rua como propulsora das potencialidades simbólicas e comunicativas dos envolvidos na produção e recepção desta forma de arte.
 Acreditamos que essa ação de difusão/formação/apreciação colabora para a relação do indivíduo com a  sua cultura, no instante em que, ao assistir ao espetáculo na rua, o mesmo estará usufruindo de um espaço público/comunitário, apropriado temporariamente para o acontecimento teatral e para a construção da cidadania.
O Projeto A Carroça na Rota dos Balaios ao promover a circulação gratuita do espetáculo “A Carroça é Nossa” em importantes cidades do estado do Maranhão, além de propiciar a criação de roteiros artísticos que se contrapõem à lógica mercadológica do mero evento, busca ampliar as possibilidades de pesquisa do grupo Xama Teatro no campo da narrativa oral e da memória dos povos campesinos (muitos deles em situação de conflitos agrários) valorizando os saberes tradicionais dos mestres dessas localidades e democratizando o direito de produzir e usufruir de outros produtos culturais, o que pode configurar-se, também, como um projeto balaio de cultura e cidadania.